31 dezembro 2008

Marcas nos percursos

Às vezes encontramos ao longo dos percursos das nossas caminhadas algumas marcas, que indicam a orientação a seguir.

15 dezembro 2008

Até ao Castro do Zambujal e ao Convento de Varatojo


A caminhada foi acompanhada de vento forte, alguma lama e da chuva que apareceu a meio. No final o vento até foi bom para nos secarmos.
O almoço, de cozido à portuguesa e o 3º aniversário deste grupo, aconchegou-nos bem para a visita que fizemos depois ao Convento de Varatojo.

Para ver o álbum de fotos desta caminhada, clique aqui.
SaD 27 Castro do Zambujal

11 dezembro 2008

Castro do Zambujal (Torres Vedras)


Programa da nossa próxima caminhada do Sempre a Descer:
Data: Domingo, 14 de Dezembro.2008
Local de Encontro: Parque Verde da Várzea, Torres Vedras, às 9:30 h [GPS N 39° 5'16.47" W 9°15'45.94"]
Caminhada de 11,5 km (cerca de 3 h 15 m), corresponde a uma variante do percurso designado como Pequena Rota 4 do concelho de Torres Vedras.

O Almoço será no restaurante do Vítor na Ordasqueira (a cerca de 4 km de Torres Vedras).
Ementa: Cozido à Portuguesa.
Se alguém torcer o nariz ao cozido, haverá uma carne assada.
Preço por bico: 15 €.
À tarde, depois de almoço, visitaremos o Convento de Varatojo, que pertence aos Frades Franciscanos.
Percurso para chegar ao local de encontro, dando como exemplo de partida o Campo Grande, Lisboa: 46 km em 35 minutos.
Inscrições e palpites para: antonio.paulino@edp.pt
T.: 934 256 444 / 210 021 181


Ver mapa maior

[fotos de Alice Gaspar]

27 outubro 2008

Pelo Reguengo Grande


Foram 12 km, em 3:15 h e em alegre convívio entre 31 caminheiros.
E entre estes, esta nova família.

Mais fotos, clicando sobre esta imagem.
SaD 26 Reguengo Grande

21 outubro 2008

Reguengo Grande (Lourinhã)

Caminhada no Reguengo Grande (Planalto das Cesaredas - Lourinhã).
Sábado, 25 de Outubro de 2008, às 9:30 h


Local de encontro: Museu Rural e Centro de Artesanato do Reguengo Grande, Coordenadas Geográficas [GPS] N 39°17'3.46" W 9°13'15.07".
Percurso de 11 km
Duração prevista: 3:30 horas
Dificuldade: média

Almoço: Restaurante A Caldeira, no Reguengo Grande.
Itinerário, segundo o maps.google.com, desde Lisboa (Campo Grande): cerca de 75 km em 50 minutos, seguindo pelo A8, e pela saída 11 (->Lourinhã, Bombarral).


View Larger Map

Inscrições para Antonio Paulino
antonio.paulino@edp.pt
T.: 934 256 444

28 setembro 2008

Pela Malveira da Serra




À volta da Malveira da Serra, pelas arribas até à Praia do Abano, foram 10 km, de bonitas paisagens.
Ver mais fotos no Álbum:

17 setembro 2008

Malveira da Serra, 27 de Setembro.2008

Depois do habitual intervalo de Verão, no próximo dia 27 de Setembro (Sábado) regressam as actividades do Sempre a Descer.Come.
Desta vez, vamos até ao Concelho de Cascais, num passeio de cerca de 10 km , com paisagens muito bonitas, e um grau de dificuldade médio/baixo.
O local de encontro é na Malveira da Serra, às 9h 45m , junto à igreja (quase em frente ao Restaurante Camponês).

Trajecto desde Lisboa : Seguir a Auto-Estrada Lisboa-Cascais [A5] e tomar a saída 12, a última. Mas ATENÇÃO, sair no sentido da Malveira da Serra . Depois é só seguir as placas que vos conduzirão ao local. Tempo normal de deslocação, 40 minutos.
Há, como sabem, outras alternativas de percurso. Exemplo, indo pelo IC 19 até ao fim, entrar na “Estrada do Autódromo” até ao desvio para a Lagoa Azul, seguindo depois por essa estrada até à Malveira da Serra. Por aqui, em condições normais de transito, é coisa para demorar 1hora, sempre a partir de Lisboa.
Como é habitual no final haverá o almoço de convívio. Será no Restaurante Ponto Verde, em Alcabideche.
Inscrições:
Para o passeio pedestre não é obrigatória a inscrição, apesar de ser aconselhável.
Para o almoço agradecemos que nos avisem com a maior antecedência possível.
Alice Gaspar: alice.gaspar@edp.pt
Telefone: 21 001 7559 TM: 93 410 7513

30 junho 2008

Olhos d'Água


No sábado 21 de Junho de 2008, um grupo de 30 caminheiros, juntaram-se para uma caminhada de 4 km à volta das nascentes do rio Alviela - Olhos d'Água.
No final, e com o calor a apertar, visitamos o Carsoscópio, para sabermos mais, e de forma interactiva, sobre as formações rochosas onde nasce este rio, que é uma das fontes de abastecimento de água à zona da Grande Lisboa. Antes do almoço, no Restaurante Olhos d'Água , ainda houve tempo para molhar os pés.

Para quem quiser lá voltar:
O local de encontro foi junto ao Carsoscópio, às 9:45 h.
Para os que usam GPS aqui estão as coordenadas: N 39.4453 W 08.7104
A partir de Lisboa (Campo Grande) são cerca de 114 km em 1 h 20 m, utilizando a A1, saída 7 para Abrantes/Torres Novas e seguir pela N 243 em direcção a Alcanena e procurar então as indicações para as Nascentes do Alviela e Carsoscópio.

Mais fotos aqui:
SaD 24/Olhos d'Água

02 junho 2008

A Rainha Refresca-se/Aqueduto

No sábado, 31 de Maio.2008, um grupo de 50 caminhantes do Sempre a Descer participaram numa visita guiada ao Aqueduto das Águas Livres "A Rainha Refresca-se", recriando o espirito do barroco e visitando a partir das nascentes (Caneças, Olival Santíssimo), o percurso do Aqueduto, das pontes da D. Maria até à Mãe d'Água nas Amoreiras, passando pela travessia da arcaria sobre o Vale de Alcântara.


No final almoçamos na Tasquinha do Lagarto, na R. de Campolide, 269 - Lisboa.

Mais fotos aqui:
SaD 23/Aqueduto das Aguas Livres

10 abril 2008

A visita às Minas do Lousal, pelo Luís Viegas


No dia 29 de Março fui para o Lousal, com o meu tio e a minha irmã, ter com o grupo sempre a descer e com outras pessoas (que eu não conheço) mas também conheço três pessoas que são amigas do meu tio (o João, a Lurdes e a Susana) que também iam com o grupo.

Antes de começarmos o passeio, uma senhora deu-nos um mapa para marcarmos o percurso que íamos fazer (fizemos um jogo de orientação). Começamos a caminhada por volta das 10 horas e 20 minutos (eu comecei em último lugar).
No início da caminhada (íamos numa rua da aldeia) havia casas dum lado e do outro, mas depressa o cenário mudou: em vez de casas víamos ervas e terra. Depois de andarmos um bocado, chegámos à linha do comboio a qual passámos numa ponte que havia, continuámos e fomos ter a uma descida até à ribeira do Lousal. Passámos em cima dumas pedras que lá estavam no meio da corrente. Mais à frente vimos outra vez a linha do comboio mas desta vez só passámos ao lado dela (a esta altura eu já estava a meio do grupo).

Andámos mais um bocado e chegámos a um sítio onde o caminho se dividia em dois (no mapa); continuámos e passámos junto a um campo de futebol, uns metros mais à frente fomos fazer uma paragem junto a uma fonte que se encontrava perto duma aldeia (que eu não conheço) onde a Lurdes, uma amiga do meu tio, foi tentar tirar água, enquanto outros elementos do grupo comiam alguma coisa.

Depois de termos comido e bebido recomeçámos a caminhada de volta ao Lousal. Seguimos por uma estrada que acabava na tal aldeia (que não conheço), quando chegamos perto da linha do comboio (a mesma, mas mais há frente) saímos da estrada e recomeçámos a andar em caminho de terra e areia. A certa altura parecia que tínhamos entrado num bosque (só havia árvores dum lado e d’outro), continuámos a andar e chegamos a um monte aonde se encontrava um marco geodésico onde fizemos outra paragem para beber água e houve algumas pessoas do grupo que quiseram ver a paisagem depois voltámos a recomeçar a caminhada (foi aqui que eu passei para a frente do grupo), e no caminho passámos por ovelhas que estavam a pastar no ”chamado“ monte do Lousal (desta vez ninguém parou).
Continuámos, e fomos passar numa ponte que passava por cima duma zona menos funda da barragem do Lousal onde ficámos a tirar fotos a um manto de flores brancas (parecia neve). Foi aqui que o Engº. António Paulino me lançou este desafio.
Quando chegámos de novo ao Lousal entregámos os mapas à porta do restaurante Armazém Central perto das minas.

O almoço era – entradas: rissóis de torresmos, azeitonas e patê de enchidos. Bebidas: Água, vinho ou sumos. Sopas: Do mineiro (puré de feijão com verduras) ou canja de galinha do campo. Prato: Porco à Patego (carne assada de cebolada, no forno, com batatas fritas aos cubos, arroz de ervilhas e salada. Sobremesa: Arroz doce ou nuvens escondidas (a comida foi a mesma para todos e estava muito boa).
Quando o almoço acabou anunciaram o vencedor que por acaso fui eu.

Enquanto almoçávamos ouvimos um grupo de mineiros cantar cantigas e a contar anedotas alentejanas (uma das cantigas era o hino dos mineiros). Quando acabámos de almoçar, fomos para o auditório do museu de ciência das minas (ainda em construção) ouvir coisas sobre a mina. Depois as coisas sobre a mina o Sr. Manuel pôs um filme também sobre a mina. Quando o filme terminou o Sr. Manuel levou-nos para o museu da mina, onde vimos as bombas eléctricas (que serviam para tirar a água das minas), moldes do poço central (por onde entravam os mineiros) e outras coisas.
E assim foi o meu passeio no Lousal com o meu tio e a minha irmã.

(Eu fiz este trabalho e a minha avó e o meu tio -com o qual troquei e-mails- ajudaram-me a fazer a redacção).


Luis Carlos Meneses Viegas

09 abril 2008

Novos caminheiros no Lousal


31 março 2008

Pelas Minas do Lousal

Foram 12 km, de caminhada para os 43 amigos que tiveram o prazer de admirar a paisagem verdejante do Alentejo, à volta das Minas do Lousal. O almoço foi acompanhado por cantares alentejanos e à tarde visitamos o Núcleo Museológico das Minas.
Mais fotos:
SaD 22/Minas do Lousal

video

11 março 2008

Minas do Lousal

Domingo, dia 30 de Março, o Sempre a Descer irá até ao Alentejo, caminhar e visitar as instalações das antigas minas do Lousal.

Ponto de encontro em Lousal, às 10.00 h.

Trajecto desde Lisboa: Seguir a Auto-estrada do Algarve [A2] e tomar a saída 10 para Beja /Ferreira ao km 120. Após a saída da auto-estrada tomar a direcção Algarve/Ourique. Cerca de 12km mais adiante, há um desvio à direita para Lousal/museu das Minas.
De Lisboa (Ponte) ao Lousal são cerca de 135 Kms que se fazem, dentro dos limites de velocidade, em 1:30 h.

Caminhada de cerca de 9 Kms - terreno sem grandes elevações
Almoço no restaurante Armazém Central, situado junto das Minas do Lousal
Visita guiada ao Museu das Minas do Lousal - após o almoço (duração cerca de 1h).

[fotos de Alice Gaspar]

18 fevereiro 2008

Da Lourinhã ao forte de Paimogo


[fotos de Alice Gaspar]

Foram 52 os que caminharam desde a Lourinhã ao Forte de Paimogo, numa manhã fria e ventosa, através da Rota dos Dinossáurios. Foram 8,5 km. A chuva só chegou à hora do almoço.
Mais fotos aqui.

30 janeiro 2008

Lourinhã - Paimogo, 17.Fevereiro.2008

Forte de Paimogo

1. O próximo "Sempre a Descer" realizar-se-á a 17 de Fevereiro (domingo) e será um passeio pedestre da Lourinhã ao Forte do Paimogo.
Como alguns se recordarão, este passeio esteve programada há 2 anos, mais precisamente a 29.01.2006 e, por causa da neve (não há engano, nevou na Lourinhã há 2 anos) acabámos por não realizá-lo, embora alguns de nós tivéssemos aproveitado, então, para visitar o Museu dos Dinossauros e aconchegar os estômagos num restaurante local.

2. O ponto de encontro será às 9.30 h, na Lourinhã, em frente à Câmara Municipal e ao Tribunal.
A Lourinhã dista cerca de 65 Km de Lisboa (Campo Grande). Para quem vai de Lisboa o itinerário recomendado é pela A8 até à saída 9 (indicação Lourinhã). Daqui, virar à esquerda e tomar a Estrada Nacional até à Lourinhã.

3. Descrição do passeio.
Iremos fazer a chamada rota dos dinossauros, um percurso pedestre de cerca de 10 Kms (3 horas), entre a Lourinhã e o Forte de Paimogo.
O percurso está descrito no seguinte sítio da internet: embora estejam planeadas algumas pequenas alterações ao percurso assinalado no sítio da internet, algumas delas dependendo ainda das condições climatéricas.
O percurso não é circular, pelo que antes do início da caminhada, teremos de deslocar algumas viaturas para o Forte de Paimogo (o n.º de viaturas suficiente para trazer todos os caminhantes de regresso ao ponto de partida).

4. Almoço
O almoço (facultativo) será no restaurante Velha Adega, em Nadrupe, a 2Kms da Lourinhã, na estrada para o Bombarral.
O preço é de 12,50 €/pessoa. Crianças até 12 anos pagam 50 %.
A ementa é constituída por um prato de carne - Espetada mista de vaca e porco, sobremesas variadas, bebida (vinho regional, sangria, cerveja, águas, sumos) e café.

5. Fotos dos passeios realizados
Entretanto estão à distância de um clique aqui, um conjunto de fotos por cada uma das caminhadas que fizemos até agora.
No final de cada álbum da caminhada verão, também, uma "foto" do percurso que foi registado no Google Earth.
Dêem uma espreitadela que vale a pena.

6. Inscrições
Para o passeio pedestre é só aparecerem.
Para o almoço muito gostaríamos que nos avisassem com a maior antecedência que puderem.

Antónia Matosa, Leonardo Conceição, Ângela Queirós, Inês Cardinha e Luís Henriques
Telefone: 210012029
TM: 934615289
email:
pestana.henriques@edp.pt

28 janeiro 2008

Fotos de Santarém

Fotos do Rui Mourato Gomes, da caminhada por Santarém.
Fica aqui um pequeno aperitivo para verem as restantes aqui.




21 janeiro 2008

Visita a Santarém

Foram 62 os caminheiros que se dispuseram a conhecer o Centro Histórico de Santarém guiados pela Drª Rosalina Melro.
Começamos na escadaria da Sé, e durante a manhã percorremos algumas das estreitas ruas de Santarém conhecendo a Porta de Leiria, o Largo do Seminário, a Sé, a Rua de São Nicolau, o Santuário do Santíssimo Milagre, a Rua Braamcamp Freire (Rua da Amargura), com visita à Biblioteca Municipal e Casa-Museu Braamcamp Freire, a Igreja da Graça, passando pela Torre das Cabaças e terminando no Jardim-miradouro das Portas do Sol.
Fomos almoçar à Taberna do Quinzena e à tarde, seguimos para a Ribeira de Santarém visitando ainda a Igreja de Marvila, Padrão de Stª Iria, Igreja de Stª Iria e regresso à Igreja de Santa Clara. E foram cerca de 7,0 km.
Algumas das Lendas de Santarém contadas pela drª Rosalina Melro, podem ser lidas aqui.
O álbum das fotografias pode ser encontrado aqui.
E os novos caminheiros que se juntaram ao Sempre a Descer:


SaD 20/Santarém