20 novembro 2006

UMA AVENTURA NA SERRA DA ESTRELA COM OS “SEMPRE A DESCER”

No dia 11 de Novembro, dia de São Martinho, eu e o grupo “Sempre a Descer” fomos à Adega provar o vinho. A senhora engenheira da Adega Cooperativa da Covilhã mostrou-nos onde se pesava as uvas, e onde se moíam as uvas. Depois disso, fomos visitar o armazém onde estavam as pipas; a seguir fomos à sala onde se tirava o engaço e as grainhas. Quando acabámos de ver essas salas todas, fomos provar o vinho regional: vinho dos Piornos, vinho tinto, vinho branco, vinho Rosé e Jeropiga. (Quer dizer, nós as crianças, não bebemos vinho).

Depois, fomos jantar ao Império dos Sabores. E foi aí que o grupo “Sempre a Descer” fez um ano e celebrou o seu primeiro aniversário. O Tó Zé Paulino é que apagou a vela do “bebé”.
No dia 12 de Novembro, de manhã, por volta das 9h ou 9:30h, fomos para a Serra da Estrela e fizemos uma caminhada a pé, do Covão da Ametade até Manteigas. Começámos a caminhar. Eu e outro menino chamado João, com quatro anos, íamos à frente.

Parámos numa fonte em cascata para beber água, e depois fomos pela “Rota Pastores”. Eu, quando estava à frente, ia a abrir o caminho para as outras pessoas. Tropecei algumas vezes nas pedras, nas raízes de giestas queimadas; ficámos todos mascarrados.
Demorámos mais ou menos 30 minutos a descer da estrada até o rio Zêzere, e a partir daí foi fácil seguir, sempre junto ao rio Zêzere, mas no fim já me doíam as pernas. Quando passámos o vale, já lá iam mais de 2:30h de caminhada. Quando chegámos a Manteigas uns velhotes perguntaram:
- Donde é que vêm?
- Vimos de Covão da Ametade, disse eu.
- Ena pá! Isso aí é muito para uma criança.


Depois de subirmos a rampa (melhor, subiram os outros porque eu já não me aguentei, tive de ir de carro com o Tó Zé Paulino…), chegámos ao Restaurante «Vale do Zêzere». O almoço, para mim, estava muito bom: comi um bitoque tenro com batatas fritas, um ovo, salada e um gelado de sobremesa. Mas as outras pessoas comeram pratos regionais: entradas de ovos mexidos com farinheira, enchidos, bacalhau com broa, e feijocas à pastor. As sobremesas eram muito apetitosas: mousse, pudim, tigelada, tarte de requeijão, e muitos outros doces.
Depois de bem comidos e ainda mais bem bebidos, fomos ainda ao Poço do Inferno ver a cascata e a floresta do Outono toda amarelada, que estava bem bonita.

Já à tardinha, quase de noite, fomos à Pista do Ski Parque, onde nos despedimos dos nossos novos amigos «Sempre a Descer». Foi então que o Tó Zé me mandou fazer esta composição (eu escrevi e o meu pai corrigiu umas coisitas…).

João Pedro Rosa

3 comentários:

Anónimo disse...

Acho que esta ideia de pôr as crianças a fazer redacções da Caminhadas sempre a descer é muito boa e deve pegar para o futuro.
AE

José Veloso disse...

Olá João Pedro:

Parabéns pela tua redação, e ainda bem que gostaste de passear na bonita Serra da Estrela! Mas como dizes ficaste todo mascarrado! E sabes porquê? Porque um pavoroso incêndio destruiu quase toda a vegetação das cabeceiras do vale glaciar do rio Zêzere. Aqui em Lisboa bebemos água do Zêzere, captada em Castelo de Bode.Corremos o risco da qualidade da água se perder irremediavelmente... Para evitar que isso aconteça, muitos meninos como tu, das escolas da região da Serra, de Lisboa e do País todo estão a juntar-se na campanha "1 Milhão de Carvalhos para a Serra da Estrela". Já prepararam quilos e quilos de bolota, que é a semente que se põe na terra para o carvalho nascer. Porque é que não organizas uma ida à serra para plantar bolotas? Podes juntar outros colegas, os pais, os Amigos, etc. A ASE (Associação dos Amigos da Serra da Estrela) dá todo o apoio e já pediu a muitas Câmaras da zona de Lisboa que cedam transporte. Se calhar até a Câmara de Odivelas cede um autocarro. Palavra João, este é um desafio a toda a juventude, porque só ela pode ajudar a salvar a Serra! E eu sei que a juventude portuguesa é generosa e boa, por isso está a responder. Acredito que um menino que faz uma tão bonita reportagem, é capaz de pôr tudo a mexer. Mais pormenores em www.ase.serradaestrela.com
Se calhar vamo-nos encontrar pela Serra da Estrela. Recebe um abraço dum velho montanheiro.
José Veloso

Jorge Quaresma disse...

Olá João.
Eu sou o Jorge, Proprietário do Restaurante Vale do Zêzere em Manteigas. Só agora visitei o vosso Site e deixa-me dizer-te que está muito interessante.
Foi um enorme prazer recebe-los no nosso Restaurante. Esperamos poder contar com uma próxima visita.
Até lá, Boas Caminhadas.
Jorge Quaresma